Campanha de vacinação contra a febre aftosa no Rio Grande do Sul teve início no dia 1º de novembro

A segunda etapa da campanha de vacinação contra a febre aftosa no Rio Grande do Sul teve início no dia 1º de novembro, indo até o dia 30 do mesmo mês. Nesta fase, segundo o Ministério da Agricultura, devem ser imunizados bovinos e bubalinos na faixa etária de zero a 24 meses, o que contabiliza cerca de 4,3 milhões de animais em 240 mil propriedades. O médico veterinário Rafael de Oliveira Gomes, Chefe da Inspetoria de Defesa Agropecuária de São Jerônimo, esteve participando do Programa Região Por Dentro do Rádio, na Rádio Gazeta do Jacuí, onde repassou informações aos produtores e a importância da campanha.

Para ele, a primeira etapa da vacinação contra a aftosa no Rio Grande do Sul, atingiu as metas previstas, demonstrando que o produtor está atento e preocupado na sanidade de seus rebanhos, e que o mesmo, deve continuar mobilizado neste sentido.

Segundo dados da Secretaria de Estado da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, através do Programa de Controle e Erradicação da Febre Aftosa, a meta nesta etapa de novembro é ultrapassar os 90% de animais imunizados e de 90% de propriedades cobertas.

A VACINA - Este ano, a vacina teve alterações na formulação, com redução na dosagem de aplicação, de 5 para 2 ml, a vacina passou a ser bivalente, permanecendo a proteção contra os vírus tipo A e O, e as apresentações comercializadas agora serão de 15 e 50 doses. A composição do produto também foi modificada com o intuito de diminuir os nódulos.

As vacinas podem ser adquiridas em casas agropecuárias credenciadas na Secretaria para a comercialização deste produto. A instrução é que após imunizar seu rebanho, o produtor terá até o dia 6 de dezembro para comprovar a vacinação junto à Inspetoria de Defesa Agropecuária local, apresentando a classificação do rebanho, por sexo e idade, e a nota fiscal de compra das doses aplicadas.